Um dos cartões postais mais emblemáticos de Salvador foi tomado por uma multidão na manhã deste domingo (22). Vindos de 16 estados diferentes e de 80 municípios do interior da Bahia, 3,5 mil atletas de elite e amadores participaram da Maratona Cidade de Salvador, em provas de 5k, 10k, 21k, 40k (revezamento por equipes) e 42k, comprovando a vocação da capital baiana para realização de grandes eventos esportivos. Essa foi a primeira edição da Maratona Cidade de Salvador, que entra para o calendário de eventos da capital baiana como terceiro principal produto, ficando atrás apenas do Carnaval e do Réveillon.
 
 
O gari Luciano Márcio dos Santos Carvalho, 32 anos, garantiu o primeiro lugar na prova da meia maratona (21k) e destacou, emocionado, suas batalhas cravadas no cotidiano até garantir esta conquista. "Eu treino na Cidade Baixa e varro ruas daqui da Barra, por isso já estou acostumado com esse calor. A sensação é de alegria por ter chegado até aqui. A cada dia, é um leão que a gente mata treinando. Trabalho de forma pesada, mas busco forças na minha família. Essa vitória é de Deus e toda a equipe que me acompanha", relatou.
 
 
Representando a Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar) na competição, 10 atletas salva-vidas marcaram presença na prova de 5km. Entre os participantes da equipe - que treinam juntos há dez anos – estava César Gomes, de 58 anos, que participou da prova no menor trecho com o intuito de se poupar para uma competição nacional. "No mar e na pista de corrida, a Salvamar sempre marca presença no esporte, chegando forte e firme. Somos todos campeões só por participarmos de uma prova desta", destacou o competidor. Entre os dias 8 a 12 de novembro, ele e mais 40 amigos representarão a Bahia no Campeonato Brasileiro de Salvamento Aquático, na Paraíba.
 
 
O atleta paralímpico Renê Pereira, destaque no remo, também participou da Maratona Cidade de Salvador. Ele foi aplaudido por centenas de pessoas que aguardavam ansiosas a chegada dos competidores ao Farol da Barra. "Participar de uma maratona de forma alternativa, é, de fato, uma forma de inserção. As pessoas devem sempre se autoconhecer e nunca desistir dos seus sonhos", afirmou. Renê também destacou que o clima acolhedor das pessoas ao longo do percurso foi um fator motivador para completar com entusiasmo a prova. "A energia foi muito boa, principalmente por voltar e ir encontrando o pessoal que ainda estava indo", finalizou.
 
 
“Demos um passo importante para formatar um produto novo na cidade. Temos a expectativa de transformar a Maratona no terceiro principal produto do calendário de eventos de Salvador, o que é um passo importante na direção do fortalecimento do turismo esportivo, que é um fenômeno mundial. Cada vez mais pessoas se deslocam das suas cidades para outros estados e países para essas maratonas. Com isso, colocamos Salvador no calendário nacional de maratonas para 2018", explicou Isaac Edington, titular da Empresa Salvador Turismo (Saltur), responsável pela organização do evento esportivo.
 
 
Estrutura - Como suporte para os atletas, foram montadas tendas para hidratação e distribuição de frutas. Postos de saúde também foram dispostos em pontos estratégicos para atendimento aos atletas que tivessem algum mal estar ou desgaste excessivo durante a prova. Uma surpresa foi preparada para os competidores: em quatro pontos, atrações como Fred Dantas, Malê de Balê e Dj Santz transmitiram energias positivas aos corredores. Antes da premiação dos atletas, a turma do Fitdance reuniu o público presente no Largo do Farol para manter o astral lá em cima. O movimento musical Alavontê encerrou a programação com um show especial dedicado aos competidores.