O comitê de seleção formado pelo crítico e artista, César Romero, o galerista Paulo Darzé, a diretora da Escola de Belas Artes (EBA/UFBA), Nanci Novais e a diretora artística do Teatro Castro Alves (TCA), Rose Lima, juntamente com a sócia-diretora da Toptrends, empresa organizadora da CowParade Brasil, Catherine Duvignau, se encarregou de avaliar 598 projetos inscritos por 427 artistas para a 13ª edição do evento. O resultado já está disponível nas redes sociais e no site do evento (www.cowparade.com.br).

 

As esculturas feitas em fibra de vidro e tamanho natural em formato de vaca ficarão num galpão escolhido especialmente para o processo de criação destinado ao Ateliê Criativo que, durante um mês, ficará disponível para a elaboração da pintura das vaquinhas. Depois que as vaquinhas receberem as intervenções artísticas, elas serão expostas em locais públicos e privados de acesso à população, a partir de 11 de outubro até 20 de novembro. As 60 esculturas pintadas ainda ficarão à mostra no Shopping da Bahia pelo período de um mês, antes de serem leiloadas. O valor arrecadado será doado para instituições beneficentes da capital baiana, que ainda estão sendo selecionadas.

 

Caráter beneficente – Além de expor a beleza e exuberância dos talentos baianos, a exposição também visa promover a responsabilidade social. No Brasil, o projeto já arrecadou e doou mais de R$ 6 milhões para ações de responsabilidade social como Fundação Abrinq, Fundação Gol de Letra, Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Rio Inclui, Associação Voluntariado de Apoio à Oncologia (Avao), entre outras.

 

 

Ao redor do mundo, mais de 10 mil artistas já participaram da CowParade e estima-se que mais de 500 milhões de pessoas tenham visto uma das esculturas. No total, mais de US$ 35 milhões foram levantados para entidades beneficentes através do leilão das peças.

 

 

 

Origem – A CowParade surgiu com a ideia de um artista suíço chamado Pascal Knapp, em 1998, quando apresentou três modelos de vaca – deitada, pastando e em pé – durante um evento de arte em Zurique. Para o escultor, as vaquinhas seriam a forma mais criativa de reproduzir uma tela tridimensional para artistas locais se expressarem. Com pincéis, tubos de cola, apliques e outros tipos de adereços, o artista poderia aproveitar toda a superfície em tamanho natural, repleta de particularidades e curvas para imprimir sua arte.

 

 

CowParade acontece há mais de 20 anos ao redor do mundo. No Brasil, cidades como São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Goiânia e Belém já receberam a intervenção.O Cowparede em Salvador recebe o apoio da Prefeitura, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur).