ACM Neto faz balanço da folia e destaca legado permanente para a cidade
 
Fotos: Valter Pontes/Secom

O prefeito ACM Neto divulgou, nesta Quarta-feira de Cinzas (26) o balanço final do Carnaval 2020. A coletiva aconteceu no Camarote Oficial da Prefeitura, no Campo Grande, e reuniu imprensa, secretários e gestores. ACM Neto, que cumpre seu oitavo e último ano à frente da Prefeitura, destacou números que comprovam que Salvador teve a maior festa de todos os tempos, assim como o legado de transformação da folia.
 
A festa momesca teve público recorde com 16,5 milhões de pessoas desde o pré-Carnaval, incluindo palcos temáticos e bairros.  “O ganho definitivo do Carnaval, o legado que deixamos para o futuro da cidade e que não vai mudar, é que as pessoas reencontraram as ruas. O Carnaval voltou a acontecer de forma mais ampla, democrática e participativa, bem diferente de como encontramos em 2013”, comemorou ACM Neto.
 
“Hoje, temos uma festa que é a da harmonia e da alegria. Asseguramos os espaços públicos por quem faz o Carnaval, que são as pessoas. Quem está dentro bloco convive perfeitamente com quem está fora. É possível curtir grandes atrações sem precisar comprar abadá”, acrescentou.
 
O prefeito ainda ressaltou que o Carnaval soteropolitano passou por que serão definitivas para os próximos anos, independente de que assuma a próxima gestão. Aliás, o próximo gestor da cidade terá pouco mais de um mês para organizar a folia de 2021, que começa mais cedo. “Uma multidão tomou conta de Salvador, coroando todo desse trabalho que vem sendo feito desde 2013. Não existe lugar nenhum no planeta que faça uma festa dessa magnitude, com esse nível de organização, de estrutura e qualidade de serviços como Salvador faz. E, assim que ficarmos sabendo quem será o próximo prefeito, vamos ajudar com uma equipe de transição a organizar a festa em 2021”, disse.
 
Muita música - ACM Neto destacou que os dias oficiais do Carnaval dos Carnavais trouxeram aos foliões 2.600 horas de música e 1.016 apresentações, realizadas tanto nos trios como nas fanfarras, palcos e blocos de chão. Mais de 12.7 mil artistas se envolveram na programação do Carnaval da folia.
 
Cada vez mais democrática e popular, a capital baiana também levou o folião pipoca a se esbaldar nos Circuitos Dodô (Barra/Ondina), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Pelourinho), com 210 atrações sem corda. Além disso, mais de 1,1 milhão de pessoas participaram do Carnaval nos Bairros, que aconteceu na Boca do Rio, Nordeste de Amaralina (Circuito Mestre Bimba), Itapuã, Pau da Lima, Liberdade, Cajazeiras, Periperi e Plataforma e nos Espaços Temáticos (palcos do Rock, Origens, Mix, Terreiro do Samba, Multicultural, Beco das Cores e Torre Eletrônica). Já o Carnaval Náutico reuniu 200 embarcações na Baía de Todos-os-Santos.
 
“Salvador vive seu melhor momento das últimas décadas. O Carnaval não teria tido essa proporção se a cidade não tivesse se transformado”, acrescentou ACM Neto.